O SENAI tem suas origens inspiradas no antigo Centro Ferroviário de Ensino e Seleção Profissional (CFESP), criado em 1934 no estado de São Paulo por Roberto Mange. O Centro Ferroviário, como era conhecido, é considerado marco inicial na evolução de conceitos e métodos da formação profissional no SENAI.

Sua oficialização aconteceu pelo Decreto-Lei Nº 4.048, publicado no Diário Oficial da União, no dia 24 de janeiro de 1942. Dois grandes líderes industriais da época foram determinantes nessa ação: Euvaldo Lodi e Roberto Simonsen, presidente da CNI e da FIESP, respectivamente.

Desde então, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI estabeleceu-se como um modelo de educação profissional e é hoje um dos mais importantes pólos nacionais de geração e difusão de conhecimento aplicado ao desenvolvimento industrial e social. São milhões de pessoas qualificadas pelo SENAI, o que o torna reconhecido como o maior sistema de educação profissional brasileiro e modelo para vários países.

Em 1980 a Prefeitura Municipal de Diadema doou ao SENAI um terreno, situado no bairro de Curral Grande, para que ali se instalasse uma escola.  Em 1º de fevereiro de 1985 a escola iniciou suas atividades com cursos de aprendizagem para as ocupações de eletricista de manutenção e caldeireiro, e treinamentos para soldador eclético.

Um ano depois começaram cursos de aprendizagem para torneiros mecânicos, ajustadores e mecânicos gerais. Em agosto de 1986 a escola passou a oferecer treinamentos ocupacionais de especialização para ferramenteiros, no período diurno e programações noturnas nas áreas da mecânica geral e da eletricidade.

Em 1987 a unidade recebeu patrono e nova denominação: Escola SENAI "Manuel Garcia Filho".

 

Patrono

 

Dr. Manuel Garcia Filho

Nasceu em São Paulo, em 21 de dezembro de 1913. Casado com Maria Cecília Sampaio Garcia com a qual teve três filhos: Manuel Garcia Neto, João Paulo Garcia e Maria Aparecida Garcia. Frequentou o Curso de Humanidades e foi diplomado pelo Colégio São Luiz, em 1932. Diplomado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, em 1941.

Manuel Garcia Filho soube sempre se impor por sua reconhecida e incansável capacidade de trabalho. Firme, corajoso, arrojado, lutador, destemido, às vezes polêmico, deixou pelo caminho a inconfundível personalidade definida, temperamento forte, coerência de raciocínio e ação, soube tirar partido da oportunidade de viver. Nasceu e morreu líder. Lutou com habilidade e tenacidade pouco comuns, daí ter sido em todos os campos sociais um exemplo dignificante marcante e imorredouro. Pai e marido extremoso, avô inesquecível, trouxe para fora do lar a autoridade e firmeza de ação que marcaram sua vida privada e profissional.  

Faleceu no dia 26 de novembro de 1986, 17 dias antes do seu 73º aniversário.